quinta-feira, 6 de março de 2014

valores




A INVERSÃO NA ESCALA DOS VALORES HUMANOS
ou
Da desordem dos valores

O homem nasce como um projeto aberto e não como uma obra acabada, sendo assim, ele vai em sua  itinerância  pelo mundo se construindo como humano, e realizando o projeto humanidade. E a realização desse projeto, depende da captação dos valores e da hierarquização correta desses valores, da capacidade de fazer os juízos, julgamentos, avaliações corretas, conforme a hierarquia universal dos valores.


O Homem é essencialmente educável e cultivável, somos seres desejantes. Surgimos  no mundo, equipados com uma espécie de apreço intuitivo, empatia pela verdade, pela bondade, pela solidariedade, pela justiça enfim. Ocorre que sem a educação e o cultivo desse apreço tal intuição ou empatia, vai se enfraquecendo e se perde.


Assim como nossa visão é educada para a distinção das cores, nossa audição ao som, também nossa estima e capacidade de ajuizar os valores corretos , devem ser educada e cultivada.


A Filosofia, assim como a educação só se justificam se for para auxiliar o projeto-homem na construção de sua humanidade, e para tanto, os valores são os guias, logo, a filosofia só se justifica se for para desperta consciências capazes de valorar corretamente o mundo humano, ou seja, despertar para os valores.


Entretanto, o que mais falta em nossas sociedades é a educação para os valores, para os valores autênticos, para os valores perenes. Foi a falta de educação para este tipo de valores que cavou um vazio profundo nas consciências dos jovens. Sem a educação para os valores perenes, eles ficaram privados de ideais e não sabem sobre que valores fundar a definição de seu projeto de humanidade nem que caminho seguir para realizá-lo, não são capazes de escolha, portanto não são livres. Por isso estão desiludidos e confusos, nauseados e desesperados, e buscam refúgios ou nos paraísos fictícios da droga ou nos empreendimentos delirantes da violência ou ainda, nos passatempos vazios das exibições ostensivas do que ainda têm; os objetos e as coisas, entre eles o próprio corpo. Coisificaram-se a si mesmos e aos outros, por não desenvolverem o entendimento, o discernimento, o juízo correto de valor.


Mas como o homem não pode viver no vazio, sempre precisamos de preenchimentos, acabamos por desordenar os valores de tal modo que invertemos a escala hierárquica dos valores e aquele que deveria ser o primeiro valor a guiar nossa ação no mundo tornou-se o último, dentre todos a Ética e, o que deveria figurar entre os últimos ocupa o primeiro lugar em nossas mentes; o Utilitário.


Batista Mondim. Introd. A Filosofia



“Nascemos fracos, precisamos de forcas; nascemos desprovidos de tudo, temos necessidade de assistência; nascemos estúpidos, precisamos de juízo. Tudo que não temos ao nascer, e de que precisamos adultos, é-nos dado pela educação”. (Jean-Jacques Roussea






Nenhum comentário:

Postar um comentário

Para facilitar, você pode postar como anônimo e se não se importar identifique-se (Texto com até 4096 caracteres)

Olavo de Carvalho

Loading...

Sergio Cortella

Loading...